Connect with us

Em destaque

Grupo de estudantes da Universidade de Coimbra desenvolvem “BluNi” um sistema tecnológico que ajuda no controlo da diabetes

Joana Fonseca

Publicado há

em

Pixabay

Um grupo de estudantes de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) desenvolveu um sistema de integração de tecnologia para monitorização e controlo da glicose baseado em criptografia biométrica.

O “BluNi” tem como objetivo facilitar o dia-a-dia das pessoas com diabetes, uma solução que com a tecnologia Bluethooth pretende unificar o sistema de monitorização da diabetes e implementar um nível de segurança extra.

Ana Faria, Diogo Henriques, Miguel Marques e Óscar Martins, os criadores do projeto, afirmam “é ter um sistema mais autónomo e fácil de usar para monitorização e controlo da glicose com base em conexões Bluetooth seguras”.

O projeto foi desenvolvido

no âmbito da cadeira de Projeto II, é um sistema que garante a comunicação entre três dispositivos: o telemóvel (através de uma app), um sensor de glicemia intersticial e a bomba de insulina. A aplicação central integra

um sistema de leitura da impressão digital do utilizador (sempre que este faça o login), e o programa, a partir da informação gerada pela imagem da impressão digital, cria uma “uma chave secreta e única”, ou seja, é gerado um conjunto de caracteres para codificar toda a comunicação que ocorre entre os três dispositivos.

“As tecnologias para ajuda no controlo da diabetes estão a evoluir bastante, e existem já vários estudos clínicos em curso para procurar desenvolver um sistema completamente independente da intervenção do utilizador. Tal sistema ainda não existe, mas nós achamos que o futuro está a caminhar nessa direção, e o BluNi poderá ser um contributo importante. Existem poucas empresas dedicadas à oferta de um pacote completo, isto é, que ofereçam um sistema de monitorização contínua de glicose, uma app e uma bomba de insulina a trabalhar de forma conjunta e, de certa forma, independente. Os diabéticos veem-se obrigados a usar uma combinação de diferentes tecnologias criadas por diferentes empresas” afirmam os estudantes.

Os alunos garantem que para a implementação do projeto em contexto real será necessário mais investigação, uma vez que o sistema foi desenvolvido em MATLAB.

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PGRpdiBjbGFzcz0iZXB5dC12aWRlby13cmFwcGVyIj48aWZyYW1lICBzdHlsZT0iZGlzcGxheTogYmxvY2s7IG1hcmdpbjogMHB4IGF1dG87IiAgaWQ9Il95dGlkXzE5OTM3IiAgd2lkdGg9IjQ5MCIgaGVpZ2h0PSIyNzYiICBkYXRhLW9yaWd3aWR0aD0iNDkwIiBkYXRhLW9yaWdoZWlnaHQ9IjI3NiIgIGRhdGEtcmVsc3RvcD0iMSIgc3JjPSJodHRwczovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS9lbWJlZC9SZ0RXTGpXUjktaz9lbmFibGVqc2FwaT0xJmF1dG9wbGF5PTAmY2NfbG9hZF9wb2xpY3k9MSZyZWw9MCZpdl9sb2FkX3BvbGljeT0xJmxvb3A9MCZtb2Rlc3RicmFuZGluZz0xJmZzPTEmcGxheXNpbmxpbmU9MCZhdXRvaGlkZT0yJnRoZW1lPWRhcmsmY29sb3I9cmVkJmNvbnRyb2xzPTEmIiBjbGFzcz0iX195b3V0dWJlX3ByZWZzX18gIG5vLWxhenlsb2FkIiBkYXRhLXZvbD0iMTAiICBkYXRhLWVwYXV0b3BsYXk9IjEiICB0aXRsZT0iWW91VHViZSBwbGF5ZXIiICBhbGxvdz0iYXV0b3BsYXk7IGVuY3J5cHRlZC1tZWRpYSIgYWxsb3dmdWxsc2NyZWVuIGRhdGEtbm8tbGF6eT0iMSIgZGF0YS1za2lwZ2Zvcm1fYWpheF9mcmFtZWJqbGw9IiI+PC9pZnJhbWU+PC9kaXY+