Connect with us

Em destaque

Quem não arrisca, não petisca! Desenvolve o teu próprio projeto. Cria a tua startup.

Sofia Rebanda

Publicado há

em

É mais que sabido que investir num sonho e num projeto é algo arriscado. Mas daqueles que não arriscam, não reza a história! Se o teu sonho é criar a tua própria startup, ter o teu próprio negócio e fazê-lo crescer, a Mais Superior dá-te uma “mãozinha”, informando-te como o podes fazer e que passos terás de dar para iniciares e desenvolveres o teu projeto.

O foco nocoredo negócio e o estar num ambiente propício ao crescimento dastartupsão fatores determinantes no sucesso da empresa. Podem existir poucos recursos, pouco conhecimento e tempo muito limitado… Mas não te preocupes! Para criares a tua startup podes contar com a ajuda de espaços de coworking, incubadoras e aceleradoras. Não sabes para o que servem?

  • Os espaços de coworking são espaços alugados ou gratuitos de trabalho, partilhados com outras empresas e startups. Contêm todos os requisitos e recursos necessários para o funcionamento de um projeto;
  • As incubadoras são espaços físicos que acompanham o desenvolvimento dos negócios no período inicial de desenvolvimento. Ajudam a concretizar a ideia de negócio e impulsionam o crescimento dos projetos ao prestar serviços de aconselhamento e mentoria.
  • As aceleradoras são instituições privadas geridas por empreendedores ou investidores experientes. Apostam e dão apoio a projetos que tenham muito potencial de crescimento – com escalabilidade e competência para atrair investimentos (não apenas em empresas promissoras).

 

COMO POSSO TER O MEU PRÓPRIO PROJETO?

 

1. Pensa numa ideia

Estrutura e organiza o teu projeto, certificando-te que é uma ideia inovadora e que ainda não existe! Convida outros elementos a integrarem o teu projeto, caso consideres necessário.

2. Apresenta o teu projeto a uma incubadora

Existem várias incubadoras ligadas a universidades e politécnicos por todo o país, por isso, certifica-te de qual é a incubadora ou espaço de coworking que trabalha com a instituição na qual estás inscrito.

Nesta fase, as incubadoras vão tentar perceber qual é a equipa integrante do projeto, que competências tem cada elemento, se é uma equipa multifacetada para preencher todas as necessidades e funções do projeto, o que é que falta na ideia, se é ou não inovadora e onde é possível incrementar mudanças para inovar.

3. Dá vida à tua ideia: realiza um protótipo do teu projeto

Após realizado o protótipo, é procedida a sua validação e realizada a análise do mercado e público-alvo. Aqui, começas a estruturar o teu plano de negócios. Terás de demonstrar neste plano que a tua ideia é inovadora e tem todas as características para ser aplicada.

4. Consolida o teu plano de negócios

Terás de descrever o que é o teu produto, as suas características, o mercado potencial, os investimentos necessários, as projeções de vendas, tipo de investimento a ser feito para colocar em prática a startup, entre outros. Deverás ter tudo isto estruturado para poderes receber o melhor aconselhamento de qual o tipo ideal de financiamento para o teu projeto.

5. Escolhe a melhor localização, licenciamento e financiamento

Nesta fase é necessário procurar cobrir as necessidades do projeto relativamente ao local onde se vai sediar o projeto ou futura empresa, que tipo de espaço necessita e procurar o melhor financiamento.

 

Atenção!
Não há uma regra universal que define a forma de criação de uma startup. Consoante cada caso, a ordem destes passos pode ser alterada.

 

QUAIS SÃO OS TIPOS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVO QUE PODEM SER APLICADOS NA MINHA STARTUP?

Existem várias formas de conseguires financiamento. É o caso de:

 

Crowdfunding (financiamento coletivo)

Uma campanha para um projeto é aberta numa plataforma online e através deste meio, outros utilizadores podem apostar na startup através de fundos monetários. É usual a campanha possuir um prazo fixo e ter de obedecer à regra de “tudo ou nada”. Isto é, ou consegue atingir o montante alvo da campanha antes de terminar o prazo ou não recebe nada e o dinheiro investido é devolvido. Para cada modalidade de crowdfunding existem plataformas online dirigidas aos diferentes nichos de
investidores. Entre as quais:

1. Crowdfunding com recompensa

A entidade financiada fica obrigada à prestação do produto ou serviço financiado, em contrapartida do financiamento obtido.

Ex.: PPL (A inscrição na plataforma é gratuita. Caso sejam atingidos os objetivos de financiamento, a PPL entrega os fundos angariados à entidade, mas retém uma comissão).

 

2. Crowdfunding por doação

É doado dinheiro para uma causa específica (geralmente caridosa).

Ex.: JustGiving e Novo Banco Co-Crowdfunding

 

3. Crowdfunding de empréstimo, CrowdLending ou Debt Crowdfunding

A entidade financiada tem de pagar, ao longo do tempo, o valor financiado com juros, cujo valor é fixado no momento de angariação.

Ex.: Raize

 

4. Crowdfunding de capital próprio (Equity Crowdfunding)

A entidade financiada oferece participação aos investidores no respetivo capital social, com a distribuição de dividendos ou partilha de lucros, na proporção da sua participação. Concluída a angariação, o investidor é legalmente constituído sócio do negócio.

Ex.: Seedrs

 

LINHAS DE CO-FINANCIAMENTO COM CAPITAIS DE RISCO

Tal como o nome indica, são linhas de apoio a fundos com capitais de risco. São aplicáveis a projetos de arranque, expansão, modernização e inovação empresarial com dimensão
estratégica, através do recurso a capitais próprios, por um período temporário. Nestas linhas geralmente pretende-se captar o interesse de fundos internacionais com know-how especializado em várias áreas de investimento.

 

LINHAS DE CO-FINANCIAMENTO COM BUSINESS ANGELS

Business Angels são investidores particulares, financeiramente independentes. Aplicam diretamente (ou através das suas empresas) o seu dinheiro, predominantemente, em empresas nascentes ou seedcapital, sem que exista uma relação familiar envolvida.

 

PROGRAMAS E PLANOS DE FINANCIAMENTO

A Startup Portugal é dinamizadora de uma série de iniciativas públicas pensadas para reduzir o risco que os jovens empreendedores correm ao concretizarem os seus próprios projetos.
As iniciativas tuteladas por entidades, como o IAPMEI, garantem algum pocket money mensal e prémios por objetivos cumpridos, a jovens empreendedores que queiram transformar as suas ideias em negócios.

 

ESTAMOS A FALAR DE PROGRAMAS COMO:

 

Startup Voucher

Este programa é direcionado para jovens entre os 18 e os 35 anos de idade. Assegura pocket money mensal de 691,70 euros, para desenvolvimento do projeto empresarial. Além disso, dá acesso a serviços de mentoria e acompanhamento, um prémio de avaliação intermédia de 1500 euros e um prémio de concretização de 2000 euros para a constituição da sociedade comercial (desde que cumpridas com nota positiva as duas avaliações intercalares e restantes requisitos em termos de prazo).

 

Startup Momentum

É direcionado para jovens na faculdade ou que tenham concluído o curso recentemente, pois aplica-se apenas a casos de alunos que tenham beneficiado de bolsas de apoio durante o Ensino Superior.
Assegura pocket money mensal (691,70 euros), apoio para protótipos e capacitação e uma ligação a uma incubadora de empresas que fornece acompanhamento e mentoria. Neste programa há ainda a possibilidade de ter alojamento próximo da incubadora certificada atribuída ao projeto.
Ambos os programas anteriores são para empreendedores que ainda se encontrem em fase de ideia.

 

Vale de Incubação

As candidaturas para este programa estão abertas permanentemente. O Vale de Incubação dá incentivos num valor até 7500 euros para gastar em serviços de incubação.

 

 

Através da Startup Portugal podes também trabalhar o teu pitch (apresentação da ideia a investidores) com a Pitch Please Booth. Nesta iniciativa, são recolhidas apresentações em vídeo para serem analisadas por especialistas no sentido de as melhorar.

Além disto, está disponível o Road 2 Web Summit, um programa feito em parceria com a Web Summit, que ajuda startups a participar no maior evento de empreendedorismo do mundo. Todas as candidaturas podem ser feitas online.

Mantém-te a par das novidades em relação a estes programas, consulta os regulamentos e está atento a www.startupportugal.com, para saberes quando abrem as diferentes fases de candidatura.

 

[Foto: Unsplash]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *