Connect with us

Ciência & Tecnologia

Equipa da Universidade de Aveiro desenvolve ferramenta de rastreio da COVID-19

Joana Fonseca

Publicado há

em

UA

Uma equipa de investigadores da UA, pretende desenvolver uma ferramenta de rastreio precoce, rápido e eficiente para detetar o vírus de COVID-19 em pacientes que são sintomáticos. O projeto intitulado de SENSECOR.

O sistema irá permitir que seja facilitada a descentralização do rastreio de SARS-CoV-2, bem como a futura centralização de dados de monitorização epidemiológica da infeção nas unidades de saúde competentes e autorizadas. O projeto SENSECOR dará a oportunidade de tomar uma decisão clínica rápida, conseguindo minimizar os testes moleculares dispendiosos, a sobrecarga de recursos humanos especializados e de profissionais da saúde, o que contribuirá para a contenção do contágio e mitigação do alastramento da pandemia.

A ideia deste projeto surgiu por parte da coordenadora do projeto, Catarina R. Marques, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) e Departamento de Biologia da UA, movida pela vontade de contribuir para colmatar lacunas inerentes ao rastreio célere da presença do vírus e transpondo, para esse efeito, a investigação que tem vindo a desenvolver no âmbito de outros projetos que coordena, juntamente com a aplicação de conhecimentos multidisciplinares.

O projeto é uma colaboração com peritos de diferentes áreas científico-tecnológicas, e tem como proposta  desenvolver um sistema integrado composto por vários módulos: um elemento sensorial imunológico para deteção do vírus, uma aplicação móvel para smartphone, uma unidade de condicionamento de sinal e uma de comunicação de dados. Desta forma, qualquer pessoa poderá utilizar o sistema e tomar conhecimento do resultado do rastreio e o mesmo pode ser comunicado às instituições de saúde.

A Universidade de Aveiro reúne todas as condições para a estratégia de investigação do SENSECOR, em conjunto com a empresa Wavecom – Soluções Rádio S.A., sendo a equipa do projeto constituída também por duas entidades parceiras: o Instituto de Telecomunicações (IT2) e o Centro Hospitalar do Baixo Vouga, E.P.E. (CHBV). 

Neste momento está a ser efetuada a adaptação da tecnologia desenvolvida anteriormente, para os requisitos específicos de SARS-CoV-2. Na fase que se segueserá feita a adequação, integração e implementação dos módulos que constituirão o sistema de rastreio. O projeto SENSECOR visa a prova de conceito deste sistema, cuja passagem para o mercado vai exigir uma abordagem a posteriori para esse fim.

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PGRpdiBjbGFzcz0iZXB5dC12aWRlby13cmFwcGVyIj48aWZyYW1lICBzdHlsZT0iZGlzcGxheTogYmxvY2s7IG1hcmdpbjogMHB4IGF1dG87IiAgaWQ9Il95dGlkXzIxODA1IiAgd2lkdGg9IjQ5MCIgaGVpZ2h0PSIyNzYiICBkYXRhLW9yaWd3aWR0aD0iNDkwIiBkYXRhLW9yaWdoZWlnaHQ9IjI3NiIgIGRhdGEtcmVsc3RvcD0iMSIgc3JjPSJodHRwczovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS9lbWJlZC9SZ0RXTGpXUjktaz9lbmFibGVqc2FwaT0xJmF1dG9wbGF5PTAmY2NfbG9hZF9wb2xpY3k9MSZyZWw9MCZpdl9sb2FkX3BvbGljeT0xJmxvb3A9MCZtb2Rlc3RicmFuZGluZz0xJmZzPTEmcGxheXNpbmxpbmU9MCZhdXRvaGlkZT0yJnRoZW1lPWRhcmsmY29sb3I9cmVkJmNvbnRyb2xzPTEmIiBjbGFzcz0iX195b3V0dWJlX3ByZWZzX18gIG5vLWxhenlsb2FkIiBkYXRhLXZvbD0iMTAiICBkYXRhLWVwYXV0b3BsYXk9IjEiICB0aXRsZT0iWW91VHViZSBwbGF5ZXIiICBhbGxvdz0iYXV0b3BsYXk7IGVuY3J5cHRlZC1tZWRpYSIgYWxsb3dmdWxsc2NyZWVuIGRhdGEtbm8tbGF6eT0iMSIgZGF0YS1za2lwZ2Zvcm1fYWpheF9mcmFtZWJqbGw9IiI+PC9pZnJhbWU+PC9kaXY+