Connect with us

Lazer & Cultura

FATAL completa 20 anos

Sofia Rebanda

Publicado há

em

De 2 a 12 de maio, o FATAL apresenta 20 espetáculos, como celebração da sua 20ª edição e com vista à promoção do teatro universitário português enquanto espaço de formação, desenvolvimento pessoal, cultural e artístico.

O Festival Anual de Teatro Académico de Lisboa (FATAL) assume o papel de formação universitária dos estudantes e de integração das diferentes Escolas da Universidade contribuindo, assim, para a consolidação da Identidade da ULisboa. Neste projeto são integrados diversos grupos de teatro e públicos, em diálogo permanente com a sua cidade de Lisboa.

Desde 2008, o projeto faz o tributo a figuras de relevo histórico, político e cultural nacionais, tornando-se um veículo de promoção e de reconhecimento de todos os que estão ligados ao teatro universitário. Em 2019, Isabel Maçana Bruxo – criadora do projeto – é a grande homenageada desta 20ª edição.

Em 20 anos de atividade, o festival orgulha-se da realização de vários espetáculos, troca de experiências, intercâmbio, convívio, criatividade, aprendizagem, muito empenho e trabalho.

Os 20 espetáculos a serem realizados de 2 a 12 de maio, como comemoração dos 20 anos, são distribuídos por duas categorias: Em Competição e Mais Fatal.
Além da apresentação das peças e performances, este ano o FATAL dá voz aos grupos de teatro universitário, num ciclo de tertúlias onde será debatida a atualidade do teatro universitário em Portugal.

Esta edição conta com a inclusão na sua programação de Outras Cenas – performances e exposições que decorrem em vários espaços da Universidade de Lisboa.

Dia 23 de abril será inaugurada, no Auditório da Cantina Velha, a instalação artística – A FATAL Caixa Negra – a partir da parceria de 10 anos com o MEF – Movimento de Expressão Fotográfica.

Nesta edição, o Festival renova parcerias e vai a cena em diferentes equipamentos culturais da cidade de Lisboa, nomeadamente no Auditório Carlos Paredes, Auditório da Biblioteca de Marvila, Auditório Orlando Ribeiro e no Auditório da Cantina Velha da ULisboa.

 

 

 

[Fotos: Divulgação]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PGRpdiBjbGFzcz0iZXB5dC12aWRlby13cmFwcGVyIj48aWZyYW1lICBzdHlsZT0iZGlzcGxheTogYmxvY2s7IG1hcmdpbjogMHB4IGF1dG87IiAgaWQ9Il95dGlkXzM5MDUwIiAgd2lkdGg9IjQ5MCIgaGVpZ2h0PSIyNzYiICBkYXRhLW9yaWd3aWR0aD0iNDkwIiBkYXRhLW9yaWdoZWlnaHQ9IjI3NiIgIGRhdGEtcmVsc3RvcD0iMSIgc3JjPSJodHRwczovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS9lbWJlZC9SZ0RXTGpXUjktaz9lbmFibGVqc2FwaT0xJmF1dG9wbGF5PTAmY2NfbG9hZF9wb2xpY3k9MSZyZWw9MCZpdl9sb2FkX3BvbGljeT0xJmxvb3A9MCZtb2Rlc3RicmFuZGluZz0xJmZzPTEmcGxheXNpbmxpbmU9MCZjb250cm9scz0xJmNvbG9yPXJlZCZhdXRvaGlkZT0yJnRoZW1lPWRhcmsmIiBjbGFzcz0iX195b3V0dWJlX3ByZWZzX18gbm8tbGF6eWxvYWQiIGRhdGEtdm9sPSIxMCIgIGRhdGEtZXBhdXRvcGxheT0iMSIgIHRpdGxlPSJZb3VUdWJlIHBsYXllciIgIGFsbG93PSJhdXRvcGxheTsgZW5jcnlwdGVkLW1lZGlhIiBhbGxvd2Z1bGxzY3JlZW4gZGF0YS1uby1sYXp5PSIxIiBkYXRhLXNraXBnZm9ybV9hamF4X2ZyYW1lYmpsbD0iIj48L2lmcmFtZT48L2Rpdj4=