Connect with us

Novidades

Entrevista a Christine Demen Meier – Managing Director em Les Roches

Publicado há

em

Innovation Hub focado na indústria hoteleira e lançado este mês, é simultaneamente, o centro multidisciplinar, rede e plataforma web colaborativa. Atualmente, Les Roches Crans Montana destaca-se globalmente nos setores da hotelaria e formação nesta área. Esta particularidade está totalmente alinhada com o nível de excelência pela qual a formação em hotelaria suíça é reconhecida mundialmente.

A Mais Superior entrevistou a Dra. Christine Demen Meier, Diretora Geral da Les Roches e membro do Conselho de Inovação da Innosuisse que se encontra na raiz desta iniciativa.

A estratégia de digitalização da Les Roches tem vindo a acontecer de forma gradual, o centro de Inovação há quanto tempo vinha a ser preparado?

A ideia do Centro de Inovação surgiu em 2019, quando lançamos na Les Roches Crans-Montana o nosso primeiro Mestrado com foco na digitalização – Mestrado em Estratégia Hoteleira e Transformação Digital, liderado por Scott Dahl. Com a digitalização a tornar-se cada vez mais uma tendência no setor hoteleiro, a conceção do Innovation Hub, liderado por Pablo Garcia, foi um passo natural para mobilizar as mentes inovadoras e fornecer-lhes as ferramentas necessárias para a co-criação e desenvolvimento tecnológico de soluções para a revolução digital da indústria hoteleira. No contexto atual, percebemos mais do que nunca que a abertura deste centro de inovação é crucial para este setor, que requer tecnologia avançada para responder às necessidades emergentes dos consumidores modernos. Desta forma, ao combinar a formação premium em hotelaria e inovação, lançamos o Innovation Hub como uma prova de um conceito vencedor do século XXI.

Em que consiste exatamente a atividade do Centro de Inovação Les Roches?

Ao desempenhar as funções de um centro multidisciplinar, uma rede e uma plataforma web colaborativa, o Centro de Inovação Les Roches Crans-Montana está aberto a inovadores, empreendedores, start-ups, organizações locais e globais, instituições públicas e privadas e, claro, alunos com o propósito de gerar e desenvolver novas soluções e ideias.

Ligado a vários eventos virtuais e físicos, a fim de promover as soluções co-criadas em todo o ecossistema do Centro de Inovação, o Hub também dará espaço às seguintes atividades:

  • O centro de desafios que permite a grandes organizações que enfrentam uma situação problemática descobrir potenciais soluções com a colaboração dos nossos alunos, professores e especialistas.
  • O centro de testes onde empresas com soluções sólidas podem testar os seus serviços para medir eficácia e utilização no setor hoteleiro.
  • O centro de desenvolvimento que permite co-criar novas soluções com empresas e instituições já estabelecidas.
  • O centro de incubação que fornecerá coaching e estratégia para start-ups com a ajuda de valiosos especialistas e empresas parceiras cobrindo seis vértices de tecnologia – Inteligência Artificial (IA), E-Commerce e Aplicações Web, Realidade Virtual e Aumentada (VR e AR ), Robótica, Internet das Coisas (IoT) e tecnologia Blockchain.

Quais os resultados que o Centro de Inovação gostaria de alcançar em 5 anos? E na sua opinião quais vão ser os principais desafios?

Sendo um dos poucos centros de inovação na indústria hoteleira, Les Roches Crans-Montana Innovation Hub reuniu talentos excecionais  do tecido empresarial e especialistas em tecnologia, académicos e estudantes com espírito empreendedor. Em colaboração com o nosso campus em Marbella, Espanha, que irá inaugurar em breve outro Centro de Inovação, na Les Roches temos como objetivo que o Centro de Inovação se torne líder mundial em inovação na indústria hoteleira, incubando um número crescente de projetos e participando de forma ativa na criação de conceitos únicos e inovadores para uma área tão específica. Como o empreendedorismo faz parte do nosso DNA, na Les Roches estamos plenos de entusiasmo em ajudar estudantes e inovadores internacionais a darem início aos seus negócios e realizar uma mudança positiva nesta indústria. Além disto, o centro de inovação será o coração do nosso sistema de formação.

A Pandemia acabou por atuar como um catalisador para a transformação digital na hotelaria, a aceitação de novos conceitos e soluções pelos consumidores acelerou e o que antes parecia um sonho futuro tornou-se uma necessidade no contexto atual, de forma a sustentar o desenvolvimento do setor.

Pode destacar algumas iniciativas previstas do Programa do Centro de Inovação?

Com os primeiros projetos já em andamento, o Innovation Hub irá abrigar até 10 projetos de inovação e 10 projetos de incubação de start-ups por ano. Beneficiando do apoio dos melhores coaches, estrategas em tecnologia e especialistas a nível de negócios, em particular os primeiros parceiros de negócios do Hub – Apollo 13, Spektrum, Simprosoft, Brunata, Workshop 4.0 e qiibee -, já lançamos a primeira call de incubação de start-up. Esta call disponibiliza 30 vagas para estudantes empreendedores ingressarem nos nossos programas de pré-incubação e incubação, e lançaremos outra cal direcionada voltada para start-ups.

O futuro da hotelaria passa inevitavelmente pela digitalização, será possível, num futuro próximo, uma experiência completamente digital numa unidade hoteleira?

A digitalização na indústria hoteleira é uma tendência que foi identificada pela Sommet Education há já algum tempo. O contexto global atual acelerou a necessidade de soluções inovadoras para manter as unidades hoteleiras abertas e munidas de ferramentas capazes de envolver, converter e reter os consumidores com experiência digital em busca de experiências seguras.

Inúmeros hotéis em todo o mundo já integraram serviços e soluções digitais inovadoras, como recursos de check-in e check-out sem contato, assim como acesso ao quarto do hotel ou serviços de concierge digital para garantir os mais elevados padrões de higiene. Estas são apenas algumas das características que começam a revolucionar o setor hoteleiro. E também podemos falar sobre inteligência artificial, robótica e blockchain que vão ter um grande impacto na experiência digital de um hotel.

Grande parte dos vossos alunos, após a formação, iniciam projetos próprios. Estes projetos podem ser assessorados pelos Centro de Inovação, se tiverem como base a inovação tecnológica?

Todos os projetos de incubação de estudantes beneficiam da orientação dos nossos parceiros em tecnologia, bem como da orientação académica do corpo docente. Como muitos projetos de inovação estão alinhados com projetos académicos, os alunos podem aplicar a sua formação de forma prática, aprender fazendo e dar vida às suas ideias. O hub de inovação é baseado em três pilares que são projetados para levar mais longe a aprendizagem dos alunos. Em primeiro lugar, permitirá aos alunos experimentar novas soluções e tendências tecnológicas, proporcionando-lhes uma experiência de utilizador em primeira mão. Em segundo lugar, proporcionará a compreensão de como criar soluções futuras para e com a indústria hoteleira Por último, o Hub dará aos alunos acesso a recursos e conhecimentos necessários para iniciar o seu próprio negócio enquanto ainda estudam na Les Roches.

Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *