Connect with us

Dá-te ao Trabalho

Saúde mental é debatida em congresso internacional na ESSV

Sofia Rebanda

Publicado há

em

O congresso internacional pretende, nos dias 21 e 22 de junho, estimular o desenvolvimento do conhecimento científico, promovendo a partilha e a reflexão sobre desafios e práticas promotoras da saúde mental, qualidade de vida e cidadania.

O “I Congresso Internacional Qualidade de Vida, Cidadania e Saúde Mental” decorre no auditório da Escola Superior de Saúde (ESSV) do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) e inclui o V Congresso de Educação para a Saúde. Organizado no âmbito do projeto de investigação “MaiSaúde Mental | Monitorização e Avaliação dos Indicadores de Saúde Mental das Crianças e Adolescentes: Da investigação à Prática”, conta com a participação de individualidades internacionais de reconhecido mérito científico.

O evento é organizado pela Escola Superior de Saúde de Viseu e Unidade de Investigação em Ciências da Saúde e da Educação do IPV, em articulação com as instituições parceiras: o Município de Viseu, o Instituto Politécnico da Guarda, o Centro Hospitalar Tondela-Viseu e o Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique.

O programa científico desenvolve-se em torno de seis grandes temáticas: Comunicação Social – Agente Promotor de Cidadania e Saúde Mental; Escola e Comunidade – Sinergia Promotora de Saúde Mental; Políticas de Cidadania e Saúde Mental; O Cérebro e as Emoções – Implicações na Saúde Mental; Família no Mundo Atual – Diversidade Cultural, Tendências e Desafios, e Neuro-Educação e Saúde Mental.

A organização tem entre os vários objetivos, promover a saúde mental e a cidadania como um valor cívico, cultural e social a preservar; facilitar o conhecimento e intercâmbio internacional de experiências e investigações entre agentes do espectro da Saúde e da Educação no âmbito da Saúde Mental, Qualidade de Vida e Cidadania; contribuir para a construção de respostas educativas e socais adequadas às áreas prioritárias de intervenção no âmbito da saúde definidas pela OMS; divulgar modelos de intervenção em Educação para a Saúde que promovam a melhoria do estado de saúde global em crianças e adolescentes, e promover a divulgação de artigos científicos, como fundamento de uma prática baseada na melhor evidência científica.

O evento tem como grupos-alvo preferenciais os profissionais e estudantes da Saúde, da Educação e das Ciências Sociais e Humanas; e ainda agentes de Segurança e população da comunidade com interesse nestas temáticas.

A dimensão internacional do congresso, com publicação de artigos completos em revista científica indexada, Ata Paulista de Enfermagem, seguindo a política editorial da mesma, resulta das parcerias edificadas com instituições congéneres. Os resumos dos trabalhos submetidos e aceites pela comissão científica do congresso serão publicados num e-book, com registo ISBN.

A investigação realizada é uma necessidade premente da região centro de Portugal. O impacto das perturbações mentais e do comportamento obriga ao planeamento de intervenções dirigidas a grupos específicos da população. A necessidade de promover a saúde mental e a qualidade de vida tem sido um desafio reconhecido pela União Europeia e recentemente reforçado no European Framework for Action on Mental Health and Wellbeing, que preconizam intervenções para a saúde mental e bem-estar em áreas prioritárias: promoção da saúde mental nos locais de trabalho e nas escolas; implementação de ações contra a depressão e suicídio e serviços de proximidade; desenvolver cuidados de saúde mental na comunidade socialmente inclusivos e promover a integração da saúde mental em todas as políticas.

O fundamento deste desafio em Portugal e particularmente na região centro assenta no facto dos estudos epidemiológicos reportarem uma prevalência de perturbações mentais infantojuvenis de cerca de 20% (3,4) constituindo-se um grave problema de saúde pública. Desta forma a promoção da saúde mental é uma prioridade para atingir os objetivos estratégicos nacionais e reforçar o compromisso europeu de solidariedade, justiça social e qualidade de vida dos cidadãos de uma forma tangível, com a particularidade de que a promoção da saúde mental em crianças e adolescentes é investir no futuro e a escola é um terreno privilegiado para esta ação.

Também no âmbito da OMS e da União Europeia, Portugal reafirmou os seus compromissos a nível central e local relativamente à execução de políticas públicas de cidadania, promoção da igualdade de género e investimento na educação, enquadradas no V Plano Nacional para a Igualdade de Género, Cidadania e Não-discriminação. Enquanto pilar para a igualdade, cidadania e promoção da saúde são cruciais ações na área da educação para a saúde com setting privilegiado na escola.

É neste pressuposto que surge este projeto que visa contribuir para a promoção da saúde mental em meio escolar e melhoria dos determinantes em saúde do grupo alvo, ou seja professores/educadores, assistentes operacionais, profissionais de saúde, agentes de autoridade/segurança, em suma, profissionais que contactam e participam na formação dos cidadãos do futuro.

As inscrições encontram-se abertas até ao dia 14 de junho. A submissão de artigos à comissão científica decorre até ao dia 10 do mesmo mês.
Informação complementar, inscrições e submissão de resumos aqui.

 

 

[Foto: Divulgação]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *