Connect with us

Night & Day

EA Live muda-se para o Campo Pequeno e leva consigo The Gift e Capitão Fausto

Sofia Rebanda

Publicado há

em

EA Live Lisboa 2019 troca o Coliseu dos Recreios pelo Campo Pequeno, onde sete bandas e vários DJ set proporcionam bons momentos, no dia 12 de outubro.

Os artistas nacionais são os de destaque neste festival. Os géneros musicais serão variados porque a música, sendo uma, acolhe a diversidade falando sempre o mesmo idioma.
O rock, pop e rap, mas acima de tudo a emoção são garantidas neste evento.

Para este festival está confirmado o grupo Keep Razors Sharp, composto por Afonso Rodrigues, Rai, Bráulio e Bibi. São considerados uma das melhores bandas do indie português e já foram chamados de “superbanda discreta”, uma designação que recusam pelos equívocos que pode causar. O seu talento não é discreto: é óbvio, como se poderá confirmar neste EA Live Lisboa.

Stereossauro é outro nome do cartaz do festival. Este artista junta a eletrónica com gosto e medida a sonoridades e vozes portuguesas. A lista dos seus cúmplices passa por: Camané, Capicua, DJ Ride, Ana Moura, Rui Reininho, Paulo de Carvalho, The Legendary Tigerman, entre outros. Usa ainda as evocações de Amália e Carlos Paredes, mas a alma da modernidade nacional passa por este músico.

The Gift e Capitão Fausto também sobem ao palco do EA Live Lisboa 2019.

Os The Gift já contam com um longo e reconhecido percurso musical, que em 2017 teve a sua máxima expressão com o álbum Altar, a ser produzido por Brian Eno. Agora a banda vai oferecer Verãoo mais recente disco, de uma grande intimidade – neste festival.

Os Capitão Fausto lançaram o primeiro álbum há oito anos e já deixava poucas dúvidas: esta era uma banda a ter em conta, músicos com ideias próprias e sem medo de exporem as suas influências. As ideias de produção desta banda são mais do que adequadas ao que têm para dizer, o seu discurso é de uma erudita mas simples rebeldia. Ao vivo esgotam salas, porque a energia e a entrega que deixam em palco tem uma única palavra: verdade. Chega então, em 2019, o tempo d’A Invenção do Dia Claro.

Para completar as sete bandas previstas para o EA Live Lisboa 2019, Diabo Na Cruz, Paus e Gabriel O Pensador marcam presença neste festival.

Diabo na Cruz combina a tradição popular com acordes de rock. O resultado é uma música contagiante, identificável mas nunca previsível. O talento deste grupo é visível não só na composição como também nas letras, o que já o levou a colaborar com outros artistas, como Ana Moura. Em 2015 foi eleito a Melhor Atuação Ao Vivo no Portugal Festival Awards.

Em 2012 um jornalista do semanário inglês New Musical Express teceu entusiásticas considerações sobre uma banda que tinha visto em Portugal – Paus – que atuaram na primeira parte dos Radiohead. Não era apenas o line up invulgar (duas baterias, teclas e guitarra): era um som muito próprio, poderoso, dinâmico, insinuante e que ao vivo não deixa ninguém indiferente.

Por sua vez, em setembro de 1992 um jovem estudante universitário do Rio de Janeiro enviou para uma editora uma maquete de um tema rap. O título não deixava dúvidas: Tou Feliz (Matei O Presidente) era um ataque cerrado ao então presidente brasileiro Collor de Mello. A editora percebeu o potencial do jovem e contratou-o de imediato. Foi nesse momento que Gabriel Contino passou a ser Gabriel, O Pensador.
O rap tropical de Gabriel, para além da denúncia de injustiças sociais, está cheio de versos inteligentes, certeiros e divertidos. Todos os recursos são convocados: escárnio, humor, sátira, raiva, divertimento. A envolver estas palavras uma escolha de batidas e melodias contagiantes, que levaram Gabriel a ser conhecido um pouco por toda a parte. Em Portugal foi sempre merecidamente acarinhado, não só pelos seus discos e posições públicas como pelas suas electrizantes atuações ao vivo.

O EA Live nasceu em 2017, a partir da aposta da Fundação Eugénio de Almeida na cultura e modernidade portuguesa. Foram sessões intimistas, gravadas nas belíssimas salas do Palácio Sinel de Cordes – as EA Live Sessions. O destino natural do festival foi na cidade de Évora. No Páteo de São Miguel, nasceu o EA Live Évora.

Depois foi a vez de Lisboa acolher um novo conceito de espetáculo: um festival numa única sala, com bandas e artistas de várias proveniências e estéticas musicais, divididos em atuações de 40 minutos. Será esta variedade de castas musicais – para levar mais longe a proximidade com o vinho EA – que irá estar presente este ano num palco maior: o Campo Pequeno.

 

 

[Foto: Divulgação]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *