Connect with us

Desporto

Desporto Universitário: Junta-te à Grande Equipa

Publicado há

em

O Ensino Superior é uma etapa desafiante: para além de ser uma pista de novos obstáculos a percorrer, é uma corrida de velocidade para entregar os trabalhos a tempo, de resistência para aguentar as maratonas de estudo, são saltos para chegar às notas mais altas, passes de apontamentos entre ti e os teus colegas, remates arriscados e alguns pontos ganhos só pela participação.

Agilidade, resistência, rapidez, equilíbrio, elasticidade, força. Estas algumas das características de um atleta. Mas a inteligência também é uma delas – e, na hora de decidir onde e com quem treinar, uma boa escolha pode fazer toda a diferença (tanto no teu bem-estar como na tua carteira).

Um estudante do Ensino Superior, acabado de sair do secundário, deixa de ter no programa obrigatório a prática de atividade física. No entanto, segundo Daniel Monteiro, presidente da Federação Académica do Desporto Universitário (FADU), “O desporto é uma componente essencial para um estilo de vida saudável. É importante ter a mente ativa e o corpo ativo, ter saúde.”

A tua instituição de Ensino Superior pode ser o teu braço direito quando o assunto é desporto e locais onde o podes praticar: sabias que grande parte das Associações Académicas e de Estudantes, assim como Serviços de Ação Social e as próprias instituições têm equipas desportivas? E acredita que não é brincadeira! Existem competições nacionais de praticamente todas as modalidades desportivas praticadas em Portugal, quer coletivas, quer individuais, que te vão pôr à prova com outros estudantes do Ensino Superior.

UM MOTOR DE MASSIFICAÇÃO DA PRÁTICA DESPORTIVA

Há muitos talentos promissores que dão os seus primeiros passos no Desporto Universitário, o que faz com que este seja um potenciador do desporto nacional e um terreno fértil para o nascimento e preparação de novos atletas!

“Há aqui jovens que gostam tanto da experiência que acabam por começar a praticar a modalidade a nível de federado. Depois, temos pessoas que acabam por se associar bastante às instituições de Ensino Superior e cria-se aqui uma ligação muito interessante e profícua, tanto para nós como para as Associações de Estudantes em que estes atletas participam.”, quem o afirma é Gonçalo Rosmaninho, presidente da Associação Desportiva do Ensino Superior de Lisboa (ADESL).

MODALIDADES E OS CAMPEONATOS UNIVERSITÁRIOS

São inúmeros os atletas profissionais que já passaram ou ainda competem nas competições universitárias. Quanto às modalidades, são tantas que temos a certeza que vais encontrar alguma que te agrade. Para João Videira, presidente da Federação Académica do Porto, “O Desporto Universitário até consegue ser mais abrangente do que o próprio desporto comum.Se gostar de praticar xadrez, posso fazê-lo no âmbito do Ensino Superior. ”

No seio da comunidade desportiva, cada vez mais há esse interesse nestas competições, mais reconhecimento pelo estatuto e pelos prémios alcançados! Gonçalo Rosmaninho afirma que, nestes campeonatos, se criam “pontes e essa valorização é muito importante para os atletas e para as instituições. Houve casos de equipas que ganharam os Campeonatos Nacionais Universitários e foram reconhecidas publicamente nas suas instituições de Ensino Superior.”

Daniel Monteiro garante que as federações desportivas olham cada vez mais para as competições internacionais universitárias como uma excelente oportunidade para potenciar jovens talentos nacionais que estejam numa fase adulta ou pré adulta das suas carreiras desportivas. Para o presidente da FADU, “Estas experiências internacionais são enriquecedoras para qualquer jovem atleta, para a sua aquisição de competências quer ao nível da experiência competitiva, quer ao nível da maturidade. Quando competimos contra os melhores, somos postos à prova e mais facilmente atingimos os nossos objetivos.”

Arriscas-te a jogar com atletas de topo? Basta pensar EUSA Games, os Jogos Europeus Universitários que tiveram lugar em Coimbra. Já te imaginaste a concorrer, a título individual ou em equipa, numa competição como esta? Foi um dos maiores eventos desportivos de sempre a ser acolhido em Portugal e juntou milhares de atletas de dezenas de diferentes países.

O ESTATUTO DE ESTUDANTE-ATLETA

Ser estudante-atleta é muito mais do que um hobby – é um estatuto! E, por falar em estatuto, grande parte das Instituições de Ensino Superior já possui um estatuto especial para os atletas que estão presentes nestas competições, assim como bolsas de mérito desportivo!

O que isso significa? Uma maior facilidade para os alunos em conciliar a prática desportiva e os estudos académicos: alterações a nível de épocas especiais, datas de avaliações, de frequências ou de entregas de trabalhos.

Para o presidente da ADESL, a existência desse estatuto é fulcral e faz falta a muitas instituições que, sem ele, acabam por se por ver muito limitadas para a participação em Campeonatos Regionais ou Nacionais, ”devido a incompatibilidades e sobreposições nas agendas desportivas e calendários escolares”.

Quanto aos deveres, claro que também existem! Os estudantes atletas devem ter um bom aproveitamento escolar e cumprir as regras desportivas e éticas de cada modalidade, sempre dentro dos princípios do fair-play. Afinal de contas, estão a representar o nome do seu estabelecimento de ensino – e devem defendê-lo e respeitá-lo. Em suma, vestir a camisola!

Do que estás à espera para entrar nesta grande equipa? Contacta já a tua Associação Académica ou de Estudantes e sabe como te podes inscrever.
Para saberes mais, consulta o site ou redes sociais da ADESL, da Federação Académica do Desporto Universitário e da Federação Académica do Porto.

[Fotos: ADESL]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *