Connect with us

Novidades

As competências transversais são as mais valorizadas no mercado de trabalho

Avatar

Publicado há

em

Quem o diz é Sílvia Monteiro, investigadora da Universidade do Minho e autora de um estudo que refere o domínio das línguas e das ferramentas tecnológicas, a proatividade e a capacidade de resolução de problemas como algumas das competências mais valorizadas pelos empregadores.

Depois de analisar o percurso de cerca de mil finalistas e recém-graduados, esta investigadora concluiu que os diplomados que reúnem estas características encontraram trabalho mais rapidamente do que os restantes colegas.

De acordo com a análise de Sílvia Monteiro, os graduados empregados são mais confiantes em relação às suas competências, demonstram maior capacidade em estabelecer objetivos e estratégias para os alcançar, adaptam-se a diferentes contextos e dinâmicas profissionais e resolvem imprevistos. Têm ainda mais determinação na tomada de decisões de carreira.

E no que às dificuldades sentidas pelos diplomados diz respeito, as estratégias de procura de emprego são uma das principais preocupações. A capacidade de concorrer a uma posição, elaborar um curriculum vitae ou estar numa entrevista são skills pouco desenvolvidos e, apesar da amostra englobar apenas alunos da UMinho, Sílvia Monteiro considera que “a realidade é semelhante no resto do país”.

Para este estudo foram consideradas variáveis como a média de ingresso, o rendimento ao longo do curso, a participação em atividades extracurriculares, a definição de objetivos e as perceções sobre o domínio de competências, entre outras.
O próximo passo da investigadora será auscultar a opinião das entidades patronais, para perceber o que procuram nos candidatos. O objetivo é, nas suas palavras, que estes resultados “possam originar planos de ações capazes de contribuir para a melhoria das taxas de emprego dos graduados portugueses e para os estudos na área a nível nacional e internacional”.

O trabalho conta com financiamento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia até 2020.

[Foto: Universidade do Minho]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PGRpdiBjbGFzcz0iZXB5dC12aWRlby13cmFwcGVyIj48aWZyYW1lICBzdHlsZT0iZGlzcGxheTogYmxvY2s7IG1hcmdpbjogMHB4IGF1dG87IiAgaWQ9Il95dGlkXzI4MzkzIiAgd2lkdGg9IjQ5MCIgaGVpZ2h0PSIyNzYiICBkYXRhLW9yaWd3aWR0aD0iNDkwIiBkYXRhLW9yaWdoZWlnaHQ9IjI3NiIgIGRhdGEtcmVsc3RvcD0iMSIgc3JjPSJodHRwczovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS9lbWJlZC9SZ0RXTGpXUjktaz9lbmFibGVqc2FwaT0xJmF1dG9wbGF5PTAmY2NfbG9hZF9wb2xpY3k9MSZyZWw9MCZpdl9sb2FkX3BvbGljeT0xJmxvb3A9MCZtb2Rlc3RicmFuZGluZz0xJmZzPTEmcGxheXNpbmxpbmU9MCZhdXRvaGlkZT0yJnRoZW1lPWRhcmsmY29sb3I9cmVkJmNvbnRyb2xzPTEmIiBjbGFzcz0iX195b3V0dWJlX3ByZWZzX18gIG5vLWxhenlsb2FkIiBkYXRhLXZvbD0iMTAiICBkYXRhLWVwYXV0b3BsYXk9IjEiICB0aXRsZT0iWW91VHViZSBwbGF5ZXIiICBhbGxvdz0iYXV0b3BsYXk7IGVuY3J5cHRlZC1tZWRpYSIgYWxsb3dmdWxsc2NyZWVuIGRhdGEtbm8tbGF6eT0iMSIgZGF0YS1za2lwZ2Zvcm1fYWpheF9mcmFtZWJqbGw9IiI+PC9pZnJhbWU+PC9kaXY+